entrar  Esqueceu a senha?   ou 
Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso ao conteúdo
 
Técnica
21/11/2012 19:03:38
O treinamento técnico e tático no futebol: semelhanças e diferenças nas formações realizadas no Brasil e em Portugal
O Brasil tem uma variedade muito grande de escolas de futebol, o que lhe rende uma gama de atletas com diferentes características. Já Portugal forma os melhores técnicos
Bruno Martinelli

Adicionar aos favoritos
Adicionar aos favoritos

A vivência do futebol nos dois países é incrível e é difícil dizer quem forma melhor seus jogadores. O Brasil revela jogadores de alto nível que são desejados pelos times de todo o mundo, enquanto Portugal têm revelado bons atletas que ocupam vagas nas melhores equipes dos cinco continentes.

O futebol é um esporte coletivo, mas, às vezes, ainda é tratado com esporte individual, em que os atletas passam pelo aprendizado, de forma analítica da técnica, separando-a do jogo. É importante que desde o começo do processo de ensino, os jogadores entendam uma gama de princípios que começa na maneira que eles se relacionam com a bola, com seus companheiros de equipe até como ocupam o espaço de jogo. Então é importante que deixemos esse modelo analítico de ensino e passemos a ensinar o futebol de forma sistêmica, privilegiando o jogo e suas ações (Garganta, 1998).

No Brasil, a formação consiste em atividades que trabalham, com foco, o aspecto técnico de seus atletas e evoluindo pelos sistemas de jogo e treinos posicionais. Começando pelo mais simples, que são as atividades específicas (modelo analítico) de cada técnica relacionada ao jogo (passe, recepção, cabeceio, arremate, etc.), em que são feitas correções de ordem biomecânica e da técnica específica.

Já os sistemas de jogo evoluem de acordo com a complexidade dos mesmos e idade dos atletas. Por exemplo: jogadores da categoria infantil (12-14 anos de idade) tendem a aprender, nesta fase, sistemas como o 4-4-2 e o 4-3-3, que são mais simples.

Em Portugal, desde as escolinhas (alunos geralmente de até 10 anos) até o profissional, os atletas são levados a entender o jogo como um todo. Com isso, os exercícios técnicos deixam de ser feitos de forma analítica e entram os exercícios ou combinações voltados para uma situação de jogo. Os atletas acabam percebendo sua função no jogo muito mais rápido. A maioria dos treinos consiste em minijogos que remete diretamente a uma situação de jogo específica, o que facilita a criação da identidade da equipe.

A base nos dois países é tratada de forma diferente. Em Portugal, os atletas são levados a ficar no clube desde as idades iniciais no futebol, porém em alguns clubes, eles pagam uma mensalidade para permanecerem nos treinamentos e competições, contudo todos eles são federados.

No Brasil, como é um país muito grande, muitas vezes a distância entre jogadores e família atrapalha na formação dos mesmos, então as equipes esperam que o atleta atinja uma certa idade para levá-los de forma definitiva.

O Brasil tem uma variedade muito grande de escolas de futebol, o que forma uma gama de atletas com diferentes características. Já Portugal forma, hoje, os melhores técnicos, melhorando a formação de base dos atletas.

Referência bibliográfica

GARGANTA, J. O ensino dos jogos desportivos coletivos. Perspectivas e tendências. Movimento, Porto Alegre, ano 4, v. 1, n.8, p. 19-26, jan./jun.1998a.

Tags: pedagogia , treinamento , Metodologia , brasil , Portugal , formaçao de atleta , categorias de base , métodos ,
0 Comentário
Comentar
Não há comentários cadastrados.

UNIVERSIDADE NO FACEBOOK

©2013 Universidade do Futebol